CAASC no Dia Internacional da Mulher

Thu Mar 01 00:00:00 BRT 2018

A advocacia catarinense atuante em prol dos direitos da mulher

Para homenagear as advogadas catarinenses pelo Dia Internacional da Mulher que se comemora no próximo dia 8, serão publicados pequenos vídeos com relatos de atuação de advogadas do estado em causas femininas no decorrer do mês de março.

Os temas vão de amamentação, licença maternidade para gestação de alto risco até propostas sobre direitos das mulheres para a Constituição de 1988. “É uma forma de homenagear as mulheres advogadas e, ao mesmo tempo mostrar a importância da advocacia na promoção e manutenção desses direitos”, antecipa o presidente Marcão, Marcus Antônio Luiz da Silva. 

Dra. Mayara Cadori Gonçalves é um dos exemplos da advocacia catarinense que atua em prol da causa de mulheres

A Dra. Mayara Cadori Gonçalves é um dos exemplos da advocacia catarinense que atua em prol da causa de mulheres.

Os vídeos serão postados individualmente na página do Facebook e no canal do Youtube da CAASC. No ano passado, foi publicada entrevista com a única mulher que ocupou a presidência da Caixa nos anos 80, Dra. Solange Donner Pirajá Martins, disponível aqui.

Há muitas versões sobre a origem do Dia Internacional da Mulher, até porque a luta pelos direitos das mulheres teve inúmeros eventos, inclusive violentos, que marcaram os últimos dois séculos. Mas foi em 8 de março de 1917 na Rússia, quando cerca de 90 mil operárias fizeram uma manifestação contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - no protesto conhecido como " Pão e Paz" - que a data se consagrou. Mas só foi oficializada como Dia Internacional da Mulher em 1921.

Vinte anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo e, em 1975 foi comemorado oficialmente o Ano Internacional da Mulher até que, em 1977 o ‘8 de março’ foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.