CAASC Saúde resgata administração do plano

Wed Dec 05 00:00:00 BRST 2018

Mudança aproximou plano de saúde dos advogados em resposta às crescentes reclamações dos usuários nos últimos anos

Era uma mudança necessária e urgente que, apesar das turbulências iniciais, hoje funciona com mais eficiência e ainda vai melhorar muito nos próximos meses. A observação do presidente Marcão, Marcus Antônio Luiz das Silva, se refere à substituição do IBBCA (Instituto Brasileiro de Benefícios para Cooperativas e Associações), responsável pela administração dos planos de saúde da Caixa de junho de 2014 a junho de 2018, pela atual CAASC Saúde. Antes disso, os planos de saúde dos advogados eram geridos pela própria Caixa, que tinha acesso direto à Unimed para interceder junto à cooperativa em casos excepcionais ou quando necessário.

Com a contratação do IBBCA, começaram inúmeras e justas reclamações de advogados de todas as regiões: exclusão do plano antes do vencimento de dois meses por inadimplência, mau atendimento pelo 0800, atraso na entrega de boletos, boletos de coparticipação desmembrados com datas de vencimento diferentes, altos reajustes nas mensalidades e grande demora de retorno do IBBCA às demandas dos beneficiários. Estes problemas acarretaram a exclusão de um grande número de advogados e, os beneficiários que mantiveram seus contratos com a Unimed, ainda enfrentavam a demora no envio de carteiras nas épocas de renovação e atendimento muito aquém do que antes era oferecido pela própria Caixa.

“A situação e os próprios advogados exigiam uma solução rápida para os problemas que se acumulavam mesmo na nossa gestão”, lembra o presidente Marcão. Mas isso passava pela difícil equação de não interrupção dos serviços para os advogados sem onerar a Caixa com rescisões contratuais ou criação de uma estrutura que exigisse repasse de custo aos beneficiários via mensalidades. A diretoria então criou uma comissão para estudar a questão e conhecer as soluções encontradas por Caixas de Assistência de outros estados que enfrentaram problemas semelhantes. “Começamos a trabalhar nisso já nos primeiros meses da nossa gestão”, conta o presidente Marcão, “mas nos vimos obrigados a esperar o final do contrato com a IBBCA para optarmos pela não-renovação para não penalizar ainda mais o nosso público”.

Assim, em junho de 2018, quando vencia o contrato com o IBBCA, a CAASC Saúde estava se estruturando para assumir a administração dos planos da Unimed. “O principal era resgatar este serviço essencial para a Caixa, para perto dos advogados”, pontua o presidente. A CAASC Saúde foi instalada no espaço do antigo CAP (Centro de Apoio Profissional, hoje substituído pelo Escritório Compartilhado CAASC, próximo ao Fórum e tribunais) no Edifício Comasa, onde também funciona a Clínica Ademar Adão. Num só endereço na Rua Felipe Schmidt, embora a CAASC Saúde mantenha atendimento junto à Secretaria da Caixa na sede da Seccional em Florianópolis, ficaram concentrados os serviços de saúde e, através da parceria com a Uniconsult, a Caixa assumiu como estipulante do contrato voltando a ter autonomia e atendimento direto junto a operadora.

Claro que esta migração, apesar de necessária, causou transtornos a todos os envolvidos, em especial aos advogados beneficiários. Entretanto, as enormes vantagens como 18 meses sem reajuste de mensalidades a contar de dezembro de 2017 e a melhoria no atendimento já são sentidas passado o impacto agravado pela qualidade da base cadastral dos clientes deixada pelo IBBCA: endereços errados, falta de números de telefone para contato e solicitações de cancelamentos de contratos que não haviam sido operacionalizados pela antiga administradora. Além destes, a troca dos cartões da Unimed, uma vez que a partir de junho de 2018 todos os clientes tiveram seus respectivos números alterados, foi outro transtorno felizmente resolvido. 

Mas uma grande vantagem para os associados da Caixa e foco do maior número de reclamações durante o contrato com o IBBCA diz respeito ao prazo de cancelamento do plano por inadimplência, o que motivou a evasão de muitos advogados. Atualmente, só são cancelados planos (após passar pelo crivo da CAASC) com duas competências em aberto, ou dois meses sem pagamento da mensalidade. No modelo adotado anteriormente, históricos de atrasos no decorrer de um ano eram computados cumulativamente para efeito de exclusão do plano. 

“São muitas correções a serem feitas”, observa o presidente Marcão, “e todas estão sendo equacionadas de forma a melhorar substancialmente a qualidade dos serviços para os advogados. Prova disso é que, passados os meses de crise de mudança, hoje já temos uma curva ascendente de novos beneficiários: em junho, com toda a evasão dos anos anteriores, tínhamos 9154 vidas e, em outubro deste ano, ainda com os ajustes em andamento, computamos 9692 vidas no plano da CAASC. É a melhor indicação de que acertamos na nossa política, apesar de todos os transtornos inevitáveis.

Agora, é aprimorar os serviços, ampliar o número de beneficiários para reduzir as mensalidades e oferecer cada vez mais e melhor na área da saúde para os advogados e suas famílias”.